sábado, 19 de agosto de 2017

Canto de MILAREPA




Canto de MILAREPA à sua família que o maltratou: "Tendo morrido nosso pai, deixou uma mãe viúva e dois órfãos. Tu tia, roubas-te todas as nossas riquezas e ficamos na miséria, o desespero tirou-me a voz. Tal como ervilhas batidas pelo cajado tu separaste-nos rompendo o laço familiar. O demónio vive no corpo de maus parentes. Foram mais cruéis do que meus inimigos.
Procurei a religião e nela encontrei o meu refúgio. Não preciso de ver ninguém que não se dedique a uma vida religiosa." 


Sem comentários:

Enviar um comentário